Delicadeza

26 novembro 2017,   By ,   0 Comments

Acho que por toda nossa existência , vivemos num mundo onde a “conquista” é a nossa força motriz.  A disputa pelo poder, por ser mais forte, por possuir vem sendo a tônica de nosso comportamento por séculos atras de séculos sem que até hoje as pessoas que estão no poder tenham sequer tempo para refletir no tipo de vida que foi criado. Não dá pra ver um traço de felicidade nessas pessoas que hoje, ainda comandam nosso planeta . São sisudas, disseminam medo e ódio, provavelmente nem possuem amigos, são muito mais temidos do que queridos…(provavelmente não experimentaram a sensação de serem queridos por alguém).

Esse mundo construído a base de guerras, “conquistas”, em que o dinheiro e a matéria é o  objetivo  que nos é ensinado a buscar incessantemente já começa, felizmente, a dar sinais de cansaço. E isso se mostra de uma forma nada positiva sobre nossa saúde e também sobre nossos atos cotidianos.

Não fomos feitos para odiar, também não fomos feitos para competir o tempo inteiro por matéria, e hoje em dia provavelmente mais de 95% para mais da população vive uma corrida desenfreada para pagar suas contas, ou para sobreviver , que é o caso da grande maioria, e essa forma de viver está acabando com a saúde e também com a sanidade das pessoas.  Nessa corrida desenfreada, nosso semelhante muitas vezes é visto como um inimigo, pois deseja o mesmo que nós, e nos faz querer ir mais rápido para chegar antes e ter primeiro.

Acabamos cultivando sentimentos que nos levam a doença, afinal será que nosso coração foi feito para que enfartemos quando chegarmos a meia idade? Não creio… Acredito sim que criamos até hoje uma forma de viver que nos agride, nos sufoca, pois vai contra toda nossa essência que é amar… Mas amar não é o conceito sexual que vemos estampados em tudo que é canto, amar é uma palavra que ainda precisamos aprender muito sobre ela se quisermos de fato evoluir como indivíduos e como sociedade. Essa palavra tem que libertar , o perdão, o respeito, a amizade, gratidão e tantos outros sentimentos que estão ocultos dentro do seu significado pleno.

Ai chegaremos num tempo onde nossa força não mais será medida pela capacidade de dominar, e sim pela nossa capacidade de ajudar, onde a delicadeza que por muito tempo foi vista como sinal de fraqueza, será a nossa força! Ainda parece utópico para quem está preso aos noticiários , mas a corrente do bem vem crescendo longe dos holofotes , mas bem perto de quem quiser aderi-la, basta procurar que vai encontrar.